Botafogo vence e mantém sonho vivo
Publicado em: 25/10/2012 às 9h50
Compartilhe esse conteúdo!

Loco Abreu, um dos últimos xodós da torcida do Botafogo, não estava em campo pelo Figueirense, já que ainda tem contrato com o clube carioca. Por outro lado, a nova estrela do Glorioso voltou a brilhar: Bruno Mendes marcou o seu quarto gol em quatro jogos pelo alvinegro carioca e abriu o caminho para os 2 a 0 no Orlando Scarpelli, na noite desta quarta-feira. A vitória, que também teve gol de Seedorf, serviu para manter vivo o sonho do clube de chegar à Taça Libertadores.

O Bota segue em sétimo lugar, mas chegou a 47 pontos e encurtou para oito sua desvantagem em relação ao São Paulo, último integrante do G-4, restando seis rodadas para o fim do Campeonato Brasileiro. Já os donos da casa, parados na penúltima posição, com 28 pontos, estão oito atrás do Bahia, primeiro time fora da zona de rebaixamento.

Na próxima rodada, o Botafogo recebe o lanterna Atlético-GO, sábado, às 18h30m (de Brasília), no Engenhão.

- É muita dedicação do nosso time, muito trabalho, comprometimento. Vamos trabalhar esta semana para buscar outra vitória no sábado - disse o xodó Bruno Mendes.

O próximo compromisso do Figueira é também no sábado e no mesmo horário, contra a Portuguesa, outra vez no Scarpelli.

- Entrega não está faltando. A gente está trabalhando bastante, se empenhando... Às vezes é falta de sorte, às vezes a bola bate na trave, o goleiro pega. Mas a gente tem fé. Em nenhum momento faltou empenho - avaliou o zagueiro Gutti, do time catarinense.

Sem Elkeson, que não viajou por estar com dores musculares, o técnico Oswaldo de Oliveira ganhou um problema de última hora. Fellype Gabriel, que não treinou na véspera da partida, ficou no banco por estar gripado. Coube a Seedorf atuar mais próximo da área adversária, e Lodeiro, como um ponta esquerda, ganhou a vaga no meio de campo. E a dupla gringa funcionou.

Já a zaga do Figueirense não teve a mesma sorte. Escolhidos pelo treinador Márcio Goiano, João Paulo e Canuto formaram a décima dupla defensiva diferente do time neste campeonato, mas não conseguiram solucionar os buracos cedidos aos visitantes, que já conseguiram vencer oito jogos no Scarpelli. Artilheiro do time com 12 gols e destaque do triunfo sobre o Inter, na rodada anterior, Aloísio passou em branco. A equipe também teve a estreia apagada do meia Thiaguinho, uma das revelações do estadual catarinense pelo Marcílio Dias.

A aposta de Oswaldo mostrou vontade logo no primeiro lance, e quase o Botafogo abriu o placar numa lambança da defesa do Figueirense. Na velocidade, Lodeiro invadiu a área pela esquerda, evitou a saída de bola e cruzou para Seedorf. A bola, que não chegou ao holandês, foi no peito de Helder. E ao tentar recuar para o goleiro, o lateral acertou a trave. Como gratidão, a zaga carioca também marcou bobeira e parece ter esquecido que não há impedimento em arremesso lateral. Aloísio recebeu livre na área, bateu cruzado, mas Julio Cesar não conseguiu um desvio suficiente para empurrar a bola para a rede.

Mas quando os donos da casa estavam melhor no jogo, logo após Julio Cesar acertar um chute improvável no travessão de Jefferson, o Botafogo chegou ao gol. E com seu novo xodó, Bruno Mendes. Aos 14 minutos, em tabela com Lodeiro pelo miolo de zaga, o atacante contou com a sorte: se sua finalização parou em Wilson, a do uruguaio, no rebote, virou uma assistência para o camisa 38 só completar para o gol vazio. À vontade, Bruno Mendes foi o destaque do primeiro tempo. Ele driblou, tentou marcar de letra, mas também foi fominha num lance ao preferir o chute no lugar do passe para Andrezinho, que estava mais bem posicionado.

A vantagem no placar se refletiu em campo, e o Botafogo tomou conta do jogo. Com isso, Seedorf foi se soltando aos poucos na sua função mais ofensiva. E depois de algumas tabelas com Andrezinho, o holandês mostrou categoria para fazer o segundo do time, aos 32. De primeira, ele pegou um rebote e ampliou o marcador após uma saída ruim de Wilson, que tentou cortar um cruzamento de soco, mas deu nos pés do camisa 10.

O Figueirense, que sempre atacava pela esquerda, nas costas de Lucas, até assustou em alguns cruzamentos, mas teve Aloísio, sua principal peça de ataque, apagado no primeiro tempo. O artilheiro do time no campeonato, com 12 gols, quase não teve chances de finalizar, e tanto Julio Cesar quanto Ronny não estavam com a pontaria em dia.

Márcio Goiano resolveu mudar para o segundo tempo e colocou William Pottker no lugar de Julio Cesar. Mas o atacante não conseguiu mudar o panorama apático do time ofensivamente. E o Botafogo, mesmo com um ritmo mais lento, continuou levando mais perigo ao gol de Wilson. Com Seedorf, com direito à arrancada do campo de defesa até o ataque, Lucas, muito acionado na direita, e Bruno Mendes, inspirado, o Alvinegro carioca esteve perto de ampliar até os 15 minutos.

As outras mudanças do Figueirense foram Gutti no lugar de João Paulo na zaga, e a estreia de Thiaguinho. Ele entrou no lugar do apagado Botti e teve logo uma ótima chance de marcar aos 17 minutos: recebeu livre na área, só que não percebeu a saída rápida de Jefferson, que conseguiu evitar o chute. Mas a principal alteração da equipe não foi uma troca de jogadores, e sim a evolução de Aloísio. Na etapa final, o camisa 9 chamou a responsabilidade e criou grandes oportunidades.

Após colocar Jefferson para trabalhar com seguidos chutes da entrada da área, o atacante teve a melhor chance de cabeça: aos 24, ele subiu no primeiro pau e desviou a cobrança de escanteio. Com Jefferson batido, Lucas foi quem salvou. Colado à trave, ele evitou gol certo. Antes, Ronny já havia tido uma oportunidade parecida após cruzamento de Helder. Livre na pequena área, ele cabeceou para o chão, a bola quicou e saiu por cima do travessão.

Por um breve instante, a torcida da casa gritou e incentivou o Figueirense, apostando numa reação. Mas a intenção, vinda das arquibancadas, logo foi abolida ao perceber que o time não tinha mais forças. O Botafogo, que começou a usar suas substituições para gastar tempo, colocou Renato no lugar de Andrezinho, Marcelo Mattos no de Lucas, e até o gripado Fellype Gabriel entrou em campo na vaga de Lodeiro, que deixou o futebol no vestiário e sumiu na etapa complementar. Com um ritmo cadenciado, o Alvinegro carioca segurou a vantagem até o apito final para garantir sua segunda vitória seguida no campeonato.

Fonte: Globo Esporte


Carregando...

Copyright 2011. RÁDIO BELEZA FM. Todos os direitos reservados sobre o layout e o conteúdo deste site.